O entediante gerador de títulos de artigos científicos

Há algum tempo publiquei uma tirinha na qual ridicularizei o tamanho e as palavras usadas em alguns títulos de artigos científicos. O fato é que em apenas um quadrinho não foi possível expressar o quanto eu acho isso hilário (pra não dizer lamentável), e por isso essa thread permaneceu ativa na minha cabeça, esperando outro post sobre o assunto. Se você deixou escapar um sorrisinho de canto de boca ao ler isso, parabéns, esse post é para você. Continue lendo.

Mas por onde começar, ó todo poderoso Eru Ilúvatar? Simples, vamos a uma das fontes, a biblioteca digital da SBC (Sociedade Brasileira de Computação). Nesse site pude fazer uma rápida e preguiçosa pesquisa, além de dar algumas boas risadas. De posse de uma amostra considerável de artigos, criei a "Enfadonha Competição pelo Maior e Mais Complicado Título de Artigo Científico". Foi uma disputa acirrada, cheia de "modelos", "formais" e "análises". Quase abandonei a pesquisa devido ao tédio.

Apresento enfim o grande campeão:

1-Processo e Modelo de Identificação de Elementos Relevantes em Documentos Textuais a Partir de Informações da Prática de Definição de Atividades Instrucionais

Parabéns ao autor, por aproveitar ao máximo a área do papel. A pobre árvore não morreu em vão. Porém, até o momento não entendi exatamente do que se trata o artigo, apesar da abundância de palavras. Agora vamos aos outros finalistas:

2-Aplicação do Modelo Sigmoidal de Boltzmann para o Ajuste das Curvas Força × Elongação de Cólon Descendente de Ratos obtidas por meio do Aplicativo SABI 2.0

3-Comparação entre Algoritmos Computacionais para Medida de Volume Encefálico Global e Volumes Intracranianos por Segmentação Automática

4-Uma abordagem participativa ao design de ambiente computacional de apoio à discussão de problemas no contexto de trabalho (Artigo Resumido)

Nice!

Claro que meu espírito investigativo não parou por aí, então decidi fazer um breve levantamento da ocorrência de determinadas palavras, utilizando a ótima busca do site (não estou sendo irônico, a busca realmente funciona). E obtive as seguintes frequências:

Um vocabulário seleto.

Para fins de curiosidade procurei por linguagens, e não me surpreendi com os resultados:

Java -> 11 resultados

Lisp/Python/Haskell/Ruby/Scheme/PHP/C++  ->  NENHUM REGISTRO LOCALIZADO.

Apesar de saber que há mais artigos publicados em outros sites e vários deles abordarem outras linguagens, veio a dúvida: Há muitos artigos científicos sobre Java porque ela é uma linguagem de mercado ou Java é uma linguagem de mercado porque há muitos artigos científicos sobre ela?

Após um breve momento de reflexão, mais dúvidas e nenhuma resposta, desconsolado e abatido, pensei: ahh, Prolog! Tem que ter Prolog! E bingo! Tem Prolog!

Prolog -> 2 resultados  \o/

Dando continuidade, percebi que muitos títulos seguiam um modelo de escrita com duas frases separadas pelo sinal dois-pontos (:). Batizei-o de "dois-pontos-model" e busquei as ocorrências: 335 artigos utilizam o "dois-pontos-model". Exemplo:

A Complexa Tarefa de Educar a Distância: Uma Reflexão Sobre o Processo Educacional Baseado na Web

Oh sim, eu sei. Há muitos artigos bons por aí, como o de Larry Page e Sergey Brin, "The Anatomy of a Large-Scale Hypertextual Web Search Engine". Eu gosto desse título. Ele tem o selo de aprovação do Capitão Concisão.

Agora vamos imaginar realidades alternativas. Como John Resig teria escrito o título de um hipotético artigo apresentando o jQuery, semelhante aos encontrados no site da SBC?

"An approach to the dynamic scripting language Javascript: A Write Less, do More, Javascript Library."

Ops, "The Write Less, do More, Javascript Library" é informal demais.

"An approach to dynamic client-side prototypic scripting languages: The importance of implementing an optimal, fast and reliable Javascript framework."

Ah, agora sim. Com isso o jQuery teria feito mais sucesso no âmbito acadêmico e não teríamos páginas de professores universitários tão feias e melhor visualizadas no Internet Explorer 6 em 800 x 600.

Algumas buscas depois, pude reconhecer outros padrões de escrita de títulos de artigo, semelhante ao "dois-pontos-model". Com esses padrões identificados e as informações coletadas a Hacktoon Corporations criou e oferece especialmente para você "O Incrivelmente Entediante Gerador de Títulos Absurdamente Extensos de Artigos Científicos de Computação no Contexto das ZzZz"...

ZzZz...Hã?! Ah, sim, onde eu estava? Bem, como eu dizia, o "O Incrivelmente Entediante Gerador de Títulos Absurdamente Extensos de Artigos Científicos de Computação no Contexto das ZzZz"...

Zzz... roonc...huh..err... ah sim, o gerador foi inspirado no fabuloso gerador de lero-lero, e agora, meu caro amigo universitário, com o "Incrivelmente.." digo, com o gerador de títulos você não precisa mais se preocupar em criar um título para seu artigo de computação. Os dois sistemas serão bastante úteis e se encarregarão de gerar toda a chatice e as buzzwords necessárias para impressionar o seu orientador. Boa sorte!

Obs 1: Nenhum livro de FORTRAN foi cheirado ou folheado bruscamente na produção deste post.

Obs 2: Nenhum universitário foi ou deveria se sentir magoado no processo.